sexta-feira, 24 de julho de 2009

EDUCASUL 2009 - EU PARTICIPEI!

ABERTURA

A solenidade de abertura, às 18h, contou com a presença de autoridades e convidados especiais. Em sua saudação, o organizador e diretor do Educasul Jessé Torres conclamou a todos, “procedentes de diferentes lugares e espaços educativos, a assumirem um compromisso ético com a instituição a qual atuam”.
- É com imensa satisfação e orgulho que os acolhemos, e em especial aos conferencistas e palestrantes que conferem fundamentação, seriedade e respeitabilidade às nossas discussões, contribuindo de modo salutar para o avanço da produção teórico-prática e proporcionando um espaço de formação que se solidifica a cada ano, frisou ele.

Coube ao professor Miguel Zabalza, doutor em Psicologia e Pedagogia pela Universidade Complutense de Madri (Espanha), fazer a primeira conferência, abordando “Avaliação e qualidade – participação ou controle?”. Disse o especialista que os próximos cinco anos são decisivos para o país abandonar os velhos valores educacionais que levam a criança a ir e voltar da escola sem estímulo e faz o professor indiferente aos problemas do aluno. Segundo frisou, a educação tem que preparar a criança social, física, intelectual e emocionalmente. Catedrático na Universidade de Santiago de Compostela, especialista em temas da educação infantil, desenvolvimento curricular, formação de professores e ensino universitário, Zabalza foi enfático ao dizer que se o sistema educacional não se transformar nos próximos anos, as futuras lideranças estarão comprometidas. Essa mudança, explicou, é o compartilhamento do respeito mútuo e confiança entre educadores e educandos.

MINI-CURSOS

O primeiro dia de atividades do Educasul 2009 começou com uma intensa movimentação dos participantes que, logo após o cadastramento, puderam escolher um dentre os três mini-cursos que ocorreram de forma paralela, das 14 às 17 horas.

RUBEM ALVES ALERTA – “É necessário acordar e dar prioridade à educação”

As observações são de Rubem Alves, psicanalista, professor emérito da Unicamp, bacharel em Teologia e Pedagogia, mestre em Teologia pelo Union Theological Seminary em Nova Iorque, doutor em Filosofia e autor de mais de 50 títulos voltados para adultos e crianças, muitos dos quais com enfoque na vocação do professor. Ele foi um dos destaques do 5º Educasul realizado no final da semana passada em Florianópolis com a presença de aproximadamente mil educadores procedentes de 197 regiões do país.
Rubem Alves disse que educação não tem nada a ver com fazer escolas, e tem tudo a ver com o ato de estar com as crianças e os adolescentes. “O aprendizado ‘a fim de’ passar nos vestibulares – aprendizado que é logo esquecido, passado os exames – poderia ser substituído pelo aprendizado em função do prazer e da utilidade. E assim se iniciaria o cultivo do tipo de inteligência essencial ao desenvolvimento da Ciência: só é bom cientista aquele que pensa como brinca”.

Ele frisou que educar significa criar pessoas que sejam bonitas, íntegras, que tenham gosto pela leitura e música, por exemplo. Mas, ao contrário, a atual tarefa dos educadores em sala de aula passou a ser a de “controlar a classe” e de “domar as feras”. O fundamental é ensinar a reverência pela vida, porque a vida de cada um é sagrada e todos só estão em busca de alegria. “Mas as escolas não sabem ensinar isso”, comentou.

É NECESSÁRIO ACORDAR

Dar prioridade à educação é uma mensagem que se repete a cada pesquisa de opinião. E, no entanto, o sistema educacional continua a deteriorar-se. “As mudanças acontecerão só quando os professores mudarem seus pensamentos e sentimentos em relação às crianças”, ensinou Rubem Alves. "É necessário acordá-los".

AVALIAÇÃO: DESAFIOS E PERSPECTIVAS

A conferência de Rubem Alves encerrou o Educasul 2009 que ocorreu de 22 a 24 de julho no Centrosul em Florianópolis. Foram 3 dias de mini-cursos, mesas-redondas, oficinas, painéis, palestras, convidados ilustres de várias partes do planeta e educadores de todo o país.

NÃO ESQUEÇA DE COMENTAR!