segunda-feira, 23 de julho de 2018

FOLCLORE EM ARTES...

BOITATÁ (FEITO COM CASCA DE LARANJA)

SACI-PERERÊ

VITÓRIA-RÉGIA
(C. E. CACHINHOS DE OURO)

IDEIAS PARA BRINCAR


















“Brincadeira é coisa séria, pois brincando, a criança se expressa, interage, aprende a lidar com o mundo que a cerca e que forma sua personalidade, recriando situações do cotidiano. Desta maneira percebe-se a importância do brincar como forma da criança se expressar e desenvolver suas habilidades de criação, de relacionamento e de interação”

TUDO VIRA FOLCLORE...

VAMOS BRINCAR? IDEIAS PARA CONSTRUIR BRINQUEDOS...

 Parte do processo de conhecer o mundo acontece durante as brincadeiras. Nos momentos de lazer, as crianças têm a oportunidade de explorar o mundo real e imaginário, exercitar a criatividade, manifestar as emoções, aprender e se desenvolver. Neste momento, é importante oferecer brinquedos infantis que estimulam a imaginação e os brinquedos reciclados são ótimas opções!



 








MAIS IDEIAS PARTICIPE DO GRUPO APRENDER     https://www.facebook.com/groups/grupoaprender/

domingo, 15 de julho de 2018

TEMPO DE FÉRIAS: O QUE FAZER COM AS CRIANÇAS?


Em época de férias escolares ou mesmo de longos feriados, quem tem criança pequena sempre tem que ficar procurando alguma atividade para que elas possam ocupar o tempo.

Mas...o que fazer com as crianças em todo o tempo livre? A preocupação é justificada, mas a boa notícia é que existem, sim, diversas formas interessantes de entreter a garotada e, de bônus, ainda reforçar os laços familiares. 

Ao planejarem as férias das crianças, os pais devem ter em mente a grande função do período: o descanso. Afinal, trata-se de um momento para a criançada curtir cada minuto com suas brincadeiras e deixar de lado as preocupações e obrigações que voltarão em algumas semanas.

Para muitos pais, estas semanas representam um desafio, pois eles precisam encontrar formas de entreter as crianças durante este período de descanso.

Segundo a terapeuta de família Suzy Camacho “nas férias, os horários ficam mais maleáveis, mas algumas regrinhas, como a hora de dormir e a de comer, precisam ser respeitadas o máximo possível para não atrapalhar o funcionamento normal do metabolismo da criança. Até os 6 anos de idade, os pequenos podem dormir e comer no máximo até uma hora depois do que estão acostumados. Fugir completamente da rotina pode deixá-los cansados e dificultar a volta às aulas”.
Veja algumas dicas para você se organizar com atividades lúdicas e se divertir com os pequenos:

Fazer com que as crianças mantenham o contato com seus amigos e colegas de escola, sempre é muito saudável para fortalecer os laços de amizade entre elas. Participar de oficinas infantis de leitura, fazer cursos de artes, passear em parques e praças, levar os pequenos para a cozinha e deixá-los preparar uma receita, fazer um piquenique ou acampamento, assistir peças teatrais e desenhos no cinema, fazer atividades lúdicas com jogos e brincadeiras antigas, proporcionar o contato com animais, fazer trilhas e caminhadas, empinar pipa,…ou até mesmo participar de uma Colônia de Férias.

O importante é mudar a rotina, desbravar outra realidade, fazer das férias um momento diferente e feliz! E se os pais conseguirem um tempinho, uma folga extra, é importante aproveitar em companhia deles. 


A intenção desse texto é motivar pais, familiares e responsáveis a pensar nestas ou em milhares de outras opções que podem garantir que esses poucos dias sejam alegres e divertidos para as crianças. Muitas vezes estamos tão entretidos em dar conforto e bens materiais que nos esquecemos de que o que torna alguém especial são o cuidado, o carinho e o tempo gastos com ele.   

Boas Férias... Patricia Salesbrum 
Psicopedagoga / assessora pedagógica 

                     CURTA A FANPAGE APRENDER: https://www.facebook.com/aprenderecia.oficial/
                 PARTICIPE DO GRUPO APRENDER: https://www.facebook.com/groups/grupoaprender/
SIGA O INSTAGRAM: _aprenderecia

BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS


Aventuras para crianças pequeninas Um túnel para as crianças engatinharem por dentro pode ser feito com papelões grandes, cartolinas, diferentes tipos de tapetes, diferentes tipos de travesseiros e bolas, bóias de soprar ou animaizinhos, balões, colchas e almofadas. Experimente você primeiro mostrar para elas como devem agir para brincarem e elas aprenderão rápido. Engatinhar embaixo do túnel, brincar com balões, construir torres com travesseiros, etc.

Crianças exercitando-se na sala
Preste atenção com as brincadeiras das crianças, é sempre bom ter um colchão de ginática ou uma colcha almofadada para que as crianças possam brincar e exercitarem-se ali.

Bacia ou piscina de plástico

Para cada grupo de crianças duas piscininhas de plástico seria o ideal. Você poderá enchê-la com balões de soprar (meio murchos para não estourarem), jornais (as crianças adoram rasgá-los), algodão (de boa qualidade para sentarem-se em cima e sentirem a textura macia). Papéis manteiga fazem um barulho agradável de se ouvir, quando se é amassado. Observando-as sempre para que não engulam objetos indesejáveis. No outono, é possível encontrar materiais como: castanhas, folhas, que também podem estar nessa pequena piscina, para que as crianças entrem e desenvolvam seus sentidos. Quando o tempo estiver quente, pode-se colocar essa piscina fora e enchê-la de água. Ponha dentro potinhos vazios de iogurte, colheres de plástico, baldinhos e deixe-as brincar ali. Observando-as sempre.

Música com materiais de casa

Caixa de ovos, latas de bebida, colheres, pauzinhos ou hastes de madeira, etc. podem transformar-se em instrumentos musicais. Use a criatividade!

Enchendo objetos

Dê para as crianças diferentes latinhas, copos de iogurte vazios, papelões, garrafas de plástico, etc. Elas poderão encher esses objetos com areia, e no verão brincar fora ou também utilizando água. Comece você mesmo demonstrando como se pode construir uma torre, uma montanha, etc com areia, logo elas estarão fazendo o mesmo.

Conhecendo as formas

Recorte nas caixas de papelão (de produtos caseiros) ou caixas de sapato, diferentes formas: círculo, triângulo, retângulo, etc. Dê para as crianças cortiça, bloquinhos de madeira para montar, pedaços de papéis grossos e peça-as para que as coloquem nos buraquinhos (de diferentes formas) das caixas.

Rolos de papel higiênico

Dê a elas alguns rolos de papel higiênico vazios ou rolos de papel de cozinha e elas poderão brincar com eles, fazendo-os rolar, apertando-os, o mais forte consegue até rasgá-os, podem também pisar em cima! Se as crianças forem um pouco maiorzinhas já podem pintar os rolos com tinta de dedo ou ainda colar papéizinhos coloridos que podem ser rasgados em cima

Saquinhos recheados

Uma coisa que pode ser feita rapidamente é confeccionar saquinhos de pano recheados ou mesmo luvas laváveis recheadas. Encha-as com algodão, arroz, ervilha seca, castanhas, ponha sininhos em cada dedo da luva, etc. As crianças dessa idade gostam de sentir o tato e escutar o som que os objetos produzem.

Painéis de textura

Numa cartolina cole uma lixa de papel, folha de alumínio, tecido, algodão, botões, cortiça, formando dois painéis. Deixem as crianças sentir as diferentes texturas. Você pode escondê-las sobre um pano e as crianças, poderão pelo tato, adivinhar de qual painel se trata.

Cobra de pano

Costure uma cobra comprida, feita de retalhos de tecido e encha-a com algodão. As crianças irão gostar muito de apalpá-la com a mão. Voce poderá utilizar outros materiais para enchê-la.

Recipiente de filme

Você poderá também encher um potinho de plástico, desses de filme fotográfico com ervilhas secas, arroz, sininhos, pedrinhas. Depois, é só fechar bem e para segurança lacre-a com auxílio de fita isolante ou crepe.

Papelão

Pode-se pintar um papelão com tintas de dedo. Uma caixa de papelão pode virar uma casinha. É só cortar as portas e janelas. Claro que essa caixa deverá ser grande. Com papelão a criança maior poderá ensaiar recortes (com tesoura sem ponta) e poderá fazer estrelas, formas variadas ( para servirem de móbiles após serem pintados), etc.

Aprendendo a guardar os brinquedos
Deixe as crianças guardar os brinquedos que utilizaram na aula. Elas podem pô-los em uma caixa de papelão vazia. Podem por: bolas de papel, algodão, bolinhas, etc. Quando tudo estiver dentro todo mundo canta uma música e se houver tempo coloca-se tudo no chão novamente e de novo começam a guardar e depois a cantar.

Espelho de papel alumínio

Você pode colar uma folha de papel aluminio no chão para que as crianças ao engatinhar olhem para seu reflexo. Os pequeninos gostam de se mirar no espelho.

Travesseiros de balões

Com uma colcha de face dupla, dessas que se colocam um estofado dentro você pode fazer um grande travesseiro de balões. É só colocar nas colchas diversos balões de ar (meio vazios para que não estourem) e então as crianças poderão engatinhar e rolar por cima.

Brincadeira na areia

Quando estiverem fora, dê às crianças forminhas, regadores, água e colheres e deixe-as brincar à vontade.

Rasgar e colar

Deixe as crianças rasgarem diferentes tipos de papéis: jornais, papéis transparentes, coloridos, dourados e depois colarem sobre uma cartolina ou papel.

Tecido e lã

Colar restos de tecidos de diferentes formas e tamanhos. Para se colar lã é necessário uma destreza maior, pois a criança precisará firmá-la com a ajuda de outros dedos para que se fixe no papel.

Caixas de ovos vazias

São também boas para que as crianças as rasgem ou para ser utilizada na confecção de papel marchê – que serve como ótimo recurso para fazer brinquedos diversos: galinhas, frutas, máscaras, etc. As crianças também poderão brincar de colocar materiais dentro da caixinha de ovos: papéis amassados, cortiças, etc. Tome porém, cuidado para que não levem objetos pequenos na boca.

Rasgar e cortar

Catálogos velhos ou jornais podem ser um ótimo material para que as crianças brinquem de rasgar. Quando são maiores podem exercitar-se em cortar as figuras. (lembre-se com tesoura sem ponta)

Reflexão: Agosto, mês dos pais...

Certas convenções parecem estar tão enraizadas em nosso modo de ver a vida e de viver, que ficam inquestionáveis. Com a comemoração do Dia dos Pais não é diferente. Em todos os lugares onde presto algum tipo de colaboração, e também nas escolas, tornou-se uma espécie de obrigação criar algo especial para ser apresentado aos pais, e as crianças devem forçosamente confeccionar alguma lembrança para lhes dar de presente. 

Sinceramente, isto tudo me parece muito mais uma satisfação das educadoras, para a coordenação das escolas e para as famílias das crianças, que uma atividade que reflete a realidade dos sentimentos de todos os envolvidos. Não estamos aqui defendendo nenhuma idéia do tipo "deviam parar com isto", "é só uma data comercial". Afinal de contas, existem muitos e muitos pais que realmente merecem e ficam sensibilizados pelas lembranças e homenagens que recebem. 


Só que, este ano, descobri que não concordo com o modo como lidamos com estas datas. E fico pensando nas crianças: será que elas concordam? Será que elas realmente estão contentes com os pais que têm? Será que elas realmente diriam as palavras que são colocadas em sua boca para recitarem, se tivessem escolha? 


Não vejo sentido em trabalhar datas comemorativas como esta, em sala, se não conhecemos a realidade dos alunos, se eles não têm chance de refletir e de perceber como realmente se sentem enquanto filhos. Onde está seu pai? Ele mora com você? Quando foi que o viu pela última vez? Do que vocês falam? Onde vão juntos? Costumam brincar? De quê?... 


Uma amiga minha contava, na segunda-feira, que os seus dois filhos mais novos passaram o domingo em prantos, porque tiveram a tradicional comemoração e presentes da escola para os pais, as tais mensagens e poesias de comportamento paterno idealizado, mas o seu próprio pai além de não morar com elas, nunca as visita e, quando telefona, nem pergunta como estão passando. Para muitos adultos, também não deixa de ser um dia difícil. 


E minha pergunta é: será nosso papel de educador acrescentar a estes alunos mais uma frustração, mais uma dor íntima, mais sentimento de rejeição do que elas já possuem? Ou será que somos tão superficiais em relação a este assunto porque temos medo de ver a realidade como é e de não sabermos o que fazer com ela? 


Por que não aproveitamos que todos estão falando disso para procurar entender a relação com esta criatura que chamamos de pai? Por que não aproveitamos para enxergar o ser humano que ele é, em vez de recitar poesias sobre o que ele nunca foi e, talvez, nunca venha a ser? Por que não verificamos as nossas expectativas em relação ao nosso pai, para ver se elas são reais ou fantasiosas, se elas nos fazem bem ou nos fazem sofrer, se elas nos fazem caminhar ou parar num ciclo de auto-piedade, em que culpamos os outros pelo modo como nos sentimos desprestigiados, negligenciados e rejeitados?... 


Nós precisamos compreender a paternidade além das convenções. Quem sabe, depois de algum tempo, nós realmente tenhamos, como produto da verdadeira reflexão de cada um e do aumento da percepção de si mesmo, poesias e mensagens que expressam, de verdade, nossos melhores sentimentos por nossos pais. 


Quem sabe possamos aprender a aceitar nossos pais como são, descobrindo as suas virtudes, estabelecendo um relacionamento pai/filho onde a sinceridade seja base do afeto e do respeito, no lugar da tentativa de resolver projeções e frustrações de um em relação ao outro.(Rita Foelker)

CULINÁRIA DIVERTIDA




500 ml de água morna
1 kg de farinha de trigo
1 ovo
20 gr de fermento biológico fresco
2 colher(es) (sopa) de manteiga
2 colher(es) (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de sal

ARTE COM OS PÉS NAS FÉRIAS

A COBRA BANGUELA...


MARIELA ERA UMA COBRA
COM MANIA DE SER GENTE
NÃO GOSTAVA NEM UM POUCO
DE SER SÓ SERPENTE.
FICAVA OLHANDO AS CRIANÇAS
BRINCANDO PELO QUINTAL
QUERIA SER UMA DELAS
MOSTRAR QUE ERA A TAL.
FAZENDO BOLAS ENORMES
COM SUA GOMA DE MASCAR
MARIELA, TODA PROSA,
SAÍA A PASSEAR.
NAS FESTAS DE ANIVERSÁRIO
IA TODA RADIANTE
COMIA UM BRIGADEIRO
TOMAVA REFRIGERANTE.
TAL QUAL ALGUMAS CRIANÇAS
NÃO CUIDAVA DE SEUS DENTES
NEM LEMBRAVA DA ESCOVA
QUE GANHARA DE PRESENTE.
UM DIA, ASSIM DE REPENTE
MARIELA DESCOBRIU
QUE UM DOS SEUS LINDOS DENTES
SEM MAIS NEM MENOS, CAIU.
E LOGO CAÍRAM OUTROS
DEIXANDO A NOSSA MARIELA
SEM PODER MORDER MAIS NADA:
ERA UMA COBRA BANGUELA...
[Guido Heleno]

BRINQUEDOS COM PRENDEDORES DE ROUPA








NÃO ESQUEÇA DE COMENTAR!