sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

ESCOLHA O BRINQUEDO CERTO...


Até 1 ano — O primeiro brinquedo do bebê é o próprio corpo. Ele começa a conhecer o mundo e se conhecer tocando, pegando um objeto e levando-o à boca. Por isso não são adequados, até os 3 anos de idade, brinquedos pequenos que ofereçam risco de serem ingeridos. Os chocalhos e mordedores são grandes e têm formas arredondadas. Bolas de pano, cubos coloridos, livros de plástico, brinquedos de praia e de banheira são bem aceitos. Uma boa dica é estimular a criança pendurando brinquedos no berço.


De 2 a 3 anos
— Como na fase anterior, o brinquedo deve ajudar a criança a desenvolver os sentidos. Objetos com noções de tamanho, forma, cor, som e textura são os mais indicados para que as crianças possam encaixar, montar, derrubar e refazer tudo de novo. Os brinquedos devem estimular a imaginação, por isso devem ser evitados os de corda e pilha. Sugestões: carrinhos com corda para puxar, brinquedos de plástico para abrir e fechar, cubos de encaixar, bolas, livros com mais ilustrações e instrumentos musicais simples.

De 3 a 6 anos — É importante que o brincadeira aproxime as crianças. O interessante é trabalhar em pequenos grupos com quebra-cabeça, jogo de memória, massa de modelar e livros de história. Esta também é a fase da imitação, principalmente das ações dos adultos. Telefonar, cozinhar, escrever, ser a mamãe ou o super-herói fazem parte do mundo imaginário das crianças. Fantasias e equipamentos que ajudem a construir esse mundo de faz-de-conta são bem-vindos. Um bichinho de pelúcia pode se transformar no amigo inseparável. Outras sugestões: bicicleta, fantoches, blocos de várias formas e tamanhos, roupas de fantasia, animais e equipamentos de fazenda, utensílios domésticos e de jardim, ferramentas de marcenaria, maleta de médico e quadro-negro.

De 6 a 9 anos
— As crianças começam a querer descobrir como o mundo funciona. É um período de intensa socialização, por isso estimule jogos em grupos e evite carro de controle remoto e jogos de computador. Objetos como globo terrestre, uma lupa ou livro de histórias se transformam em interessantes brinquedos. Jogos que estimulam o levantamento de hipóteses, palavras cruzadas, jogos de tabuleiro, montagem de mosaico, quebra-cabeça, autorama, desafios ortográficos, corda de pular, bicicleta e brinquedos de montar fazem o maior sucesso.

De 9 a 12
anos — Este é um período em que a criança gosta de explorar objetos e lugares e a testar habilidades físicas. Jogos que exigem decisões estratégicas ou que testem os conhecimentos obtidos na escola ajudam no desenvolvimento intelectual e psicológico da criança. Equipamentos para desenhos, pernas de pau, patins ou skate, ping-pong de mesa, experiências químicas, fotografia, jogos de mágica, coleções e jogos de xadrez são bem aceitos.

Para todas as idades
— Os produtos devem ter o selo de certificação de segurança do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). O selo do Inmetro garante que o produto foi testado e avaliado em laboratórios especializados em brinquedos, além de estar dentro das normas técnicas de segurança. O consumidor deve verificar também se o brinquedo possui as informações obrigatórias na embalagem, que são: idade a que se destina o brinquedo, instruções de uso, número de peças e identificação do fabricante com nome da empresa, endereço e o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ).

NÃO ESQUEÇA DE COMENTAR!